24 de abr de 2017

Quanto mede o seu quantum de energia vital?


Vida é movimento e o seu contexto é bem amplo, pois abrange também uma releitura nas práticas habituais do cotidiano: 

autocuidado, casa, trabalho, culinária, cosmetologia e agricultura. 
As bases da nossa sustentabilidade vital!



E você? Quanto mede o seu quantum de energia vital?

Quer saber? Elaboramos aqui um questionário. 

A pesquisa é sobre o jeito que escolhemos para viver e o resultado são as verdades que colhemos em nosso dia-a-dia. Sendo assim, nós próprios, ou o nosso reflexo no espelho, seremos a resposta personificada da sinceridade.

Sim. Aí está! Entregue-se ao ponteiro do relógio que mede o quantum de Energia Vital adquirido durante a toda jornada de uma vida... 
Esse relógio é você. 
Então, observe-se e reflita!

1.       Sobre o que você ingere, diariamente:
·         De onde vem a sua água e a sua comida?
.     Como é o ar que você respira, a maior parte do tempo?
·         O que você come de manhã?
·         Que tipo de ingredientes culinários que você prioriza como indispensáveis à sua vida?
·         Você usa xampu?
·         Que tipo de material você usa para escovar os dentes?
·         Seus artigos de higiene habitual ainda são provenientes da indústria?

2.      Sobre os tipos de materiais com os quais o seu corpo se relaciona, diariamente:
·         Quantos objetos produzidos a partir de combustíveis fósseis são necessários para que você exista durante semana (isso inclui todas as embalagens, combustíveis e produtos derivados de plástico e petróleo comuns no dia-a-dia...)?
·         De que tipo de material é feita a sua cama?
·         Que tipo de paisagem você olha pela janela do seu quarto?
·         Você apenas consome os seus alimentos ou também cultiva algo, ainda que seja uma proporção mínima da sua base de sustentabilidade?
·         Qual a quantidade de lixo você produz por semana?

3.     Sobre a beleza do viver:
·         Que tipo de escolha você prioriza quando tem tempo para si mesmo?
·         A melhor companhia e o melhor lugar conduzem a atividades de lazer: intoxicantes ou vitalizantes?
·         Há equilíbrio nos seus relacionamentos afetivos?
·         Você conduz a sua vida pelo condicionamento ou pela criatividade?
·         Você vive do que ama ou tornou-se escravo da própria vida?

Cada escolha diária influencia a nossa capacidade de estabelecer relações. Elas anunciam a herança que estamos deixando para a nossa família, para a comunidade e para o Planeta em que vivemos.

A qualidade das nossas escolhas interfere diretamente na quantidade de Energia Vital que recebemos. Dependendo do que escolhemos, podemos prosperar ou desfazer o nosso quantum diário de energia.

A transição envolve uma revisão dos padrões antigos e uma predisposição natural para mudanças diárias. 

Comece lendo este post de trás para frente!

Com carinho,

Aline Chaves e as Panelas de Capim

3 de abr de 2017

Saiu no Jornal Boa Semente. Entrevista com Aline Chaves. Panelas de Capim

A coluna adianto é uma uma iniciativa da Associação Adianto no Jornal Boa Semente para divulgar ações que sejam um “adianto” para as regiões de alcance das suas publicações.

São distribuídos, semanalmente, 10.000 exemplares do Jornal Boa Semente nos municípios de Macaé, Casimiro de Abreu, Rio das Ostras e Silva Jardim.  

A entrevista foi feita na coluna Momento Adianto. Aqui fica nosso agradecimento à Paula Campos Lara Moura. 

MOMENTO ADIANTO com Aline Chaves. Panelas de Capim

Quem você é?



Sou um ponto de luz no Uni-verso!

Uma luz que irradia, entende, crê, aceita, aprende, insiste, comemora, aprende novamente e busca conviver em harmonia com todas as formas de vida.

O que você faz?


Sou educadora para sustentabilidade. Oriento pessoas interessadas em mudar seus estilos de vida através de apostilas virtuais, oficinas, vivências e imersões. Encorajo-as a recriarem e re-inventarem as próprias vidas.

Sustentabilidade é o modo de ser do planeta em que vivemos… Princípio cíclico que produz consciência sobre tudo aquilo que vitaliza e mantém a vida.

Apresento a Alimentação Bioenergética como modo de refletir sobre sustentabilidade, tendo em vista acreditar no alimento como a principal forma de comunicação do nosso corpo com o ambiente onde vivemos.

Para quem não conhece, a Alimentação Bioenergética re-cria todo o contexto da nutrição tradicional, para conceber uma nova síntese no processo de assimilação corporal. Um outro modelo de saúde e bem-viver que amplia os conceitos de vida, corpo, alimento, ambiente e relações para redefinir as referências sobre sustentabilidade no Século XXI.

Alimento é toda força que aprimora e enriquece o nosso viver!!! Base de sustentação e conexão da nossa existência. Por meio dele, assumimos escolhas e mudamos hábitos de vida! Menos dependências de estimulantes, menos embalagens, menos gasto energético, menos lixo, nenhum remédio e mais amor!

Nesse contexto, sou uma mediadora que utiliza o alimento, a simplicidade e a re-aproximação da natureza como caminhos que conduzem ao autoconhecimento, à saúde, à serenidade e à alegria de viver.

O que você considera um adianto?


A simplicidade!

Estamos sempre querendo, buscando... é o estado natural da humanidade! O único problema é que vivemos uma crise de valores, a qual nos convenceu de que temos uma constante necessidade de “objetos” para viver. Isso torna as pessoas constantemente insatisfeitas com o momento presente.

Buscar a simplicidade como princípio é remar contra a maré, pois implica em reduzir o excesso de necessidades que a nossa sociedade impõe como padrão de normalidade.

Quando nos satisfazemos encontrando felicidade nas coisas simples, simplificamos hábitos, desejos e necessidades. Ficamos felizes muito mais vezes e por mais tempo...

E um atraso?


Massificação.

Padronizar pessoas em padrões de comportamento nivelados de forma homogênea. A tal da vida de gado, sabe? Um processo de ignorância intencional que favorece grandes corporações e exclui dos indivíduos a sensibilidade pelo novo; e o desejo de investigação criativa.

É melhor comprar tudo pronto, receber opiniões prontas, contentar-se com o laudo dos especialistas. Fazer tudo sempre igual a todo mundo, em todos os aspectos... É como se não existisse um ser único, com autoconhecimento sobre o seu corpo, a sua identidade, aprendizado e sentido! Para mim, a massificação é a morte dos sonhos e o engessamento das civilizações.


Como você vê o futuro do planeta terra?


Um lugar lindo para se viver, ambiente de paz, proteção, comunhão e fraternidade. Acredito no planeta como um espaço de renovação constante que está em permanente processo de mudança criativa.

A vida é uma força dinâmica que muda tudo, todos os dias. Através do princípio da regeneração, transforma a queda em um novo passo de dança. Re-cria novos seres. Inventa processos mais dinâmicos de comunicação e relacionamento entre as espécies. Sempre aperfeiçoando e lapidando a natureza, traduzindo a força da vital em paisagens e belezas inimagináveis! Eu amo esse Planeta!


Como você vê o futuro da humanidade?


Há milhares de anos, caminhamos em um processo lento de evolução. Acredito que estamos transformando a humanidade que, num futuro próximo, já estará bem amadurecida para abrir seus 
processos de consciência para a espiritualidade e o Amor.

 

Qual a sua mensagem para o leitor?


O nosso maior desafio é aprender a valorizar a diversidade como uma oportunidade para troca de experiências. Portanto, ao invés de criticar o diferente, aprenda com ele!

“Deus te joga de um sentimento ao outro e te ensina por meio dos opostos. De modo que te dá duas asas para voar, não apenas uma.” Rumi

O que você faz para contribuir com a conservação do meio ambiente?

Busco manter uma coerência entre o meu pensamento, minhas falas e minhas ações. Acredito que o Amor e o Respeito pela natureza se refletem nas escolhas do dia-a-dia. Está intrínseco ao simples fato de existir... Desde o produto usado para escovar os dentes até o alimento que coloco na boca, o tecido que escolho para as minhas roupas e o material do qual é feita a minha cama. Tudo está relacionado a tudo!

Toda pegada que eu deixo na natureza, a partir da minha história de vida, interfere diretamente na qualidade do ambiente e da saúde dos demais seres. Todo gesto que eu realizo, Aqui e Agora, interfere nas presentes e futuras gerações. As pessoas não costumam refletir sobre como surgem as matérias-primas, muito menos pensar no processo de produção das “coisas.”

O fato é que, quanto mais consciente o modo se relacionar nesta sociedade de consumo, mais rios encontrarão o mar em estado de pureza, mais florestas viverão em pé. Quanto menos consumo, menos impacto na natureza. Lixo é não existe... É uma coisa que colocaram na sua cabeça! Afinal, não existe “o lado de fora”. A vida é uma só.

Portanto, a minha contribuição é por meio da conscientização (consciência + ação). Aliás, esse é o legado da permacultura! Um processo de re-aprendizagem constante que devolve o conceito de uma cultura que seja permanente (como aquela experimentada pelos povos ancestrais), o suficiente para prolongar-se e aperfeiçoar-se no tempo através de sucessivas gerações.

Desse modo, a minha função é encontrar formas de comunicar a simplicidade como meio que inspira a reduzir, reusar, reciclar, reinventar, reaproveitar e reaprender a se relacionar, de forma plena e gentil, com a generosidade e a abundância que a natureza oferece com tanta perfeição.

A coluna Momento Adianto é uma iniciativa da Associação Adianto para divulgar ações que sejam um “adianto” para nossa região. Caso você queira contribuir com alguma crítica, sugestão ou texto para publicação, envie mensagem para 22-99947-7764 ) e visite
www.adianto.org.br. Facebook: Adianto

Alimentação Viva: um outro estilo de viver

Afinal, o que é Alimentação Viva para você?  Para nós, não se trata de um hábito alimentar, muito menos de uma dieta. A Alimentação...

Jovens postagens

.

O conteúdo deste blog é ofertado aos leitores que desejam aprimorar-se nas práticas da Alimentação Viva e inspirar-se no estilo de vida ecológico.

Agradeço de profundo coração os compartilhamentos que CO-LABORAM para divulgar este trabalho, citando as respectivas fontes e autoria!

Aqui mora um pequeno resumo dos muitos anos dedicados à pesquisa, onde uso o meu próprio corpo como experimento.

Peço gentilmente que não utilizem as nossas publicações para fins comerciais. Só porque não vale à pena promover-se financeiramente às custas do esforço e criatividade alheios.

A Vida vem da Vida!

Com carinho,

Aline Chaves
A moça que planta nas panelas

Licença Creative Commons
Panelas de Capim de Aline Almeida Chaves está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://panelasdecapim.blogspot.com.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O que tem dentro das Panelas de Capim?