24 de abr de 2015

O saber e medicina das plantas


Há bilhões de anos, um mesmo sopro de vida é entoado no relacionamento ancestral entre seres vivos que compartilham do mesmo ar, da mesma água... da mesma TERRA!

Somos parte deste relacionamento. Portanto, nenhuma planta cresce próxima a você, por acaso!!! Todas têm a sua função e o seu tempo certo de aparecer. Nosso corpo sabe disso.

 



"Um outro tipo de sabedoria vegetal"

É certo que todas as plantas possuem a sua própria medicina. Dos mais simples alimentos cotidianos (beterraba, cenoura, salsinha, alface) àquelas com princípios ativos mais fortes (babosa, arnica, aroreira). São diversos exemplos e funções. Todas produzirão algum resultado, em algum momento.

Agora, verdade seja dita! Dêem especial atenção às plantas espontâneas crescendo em volta da sua casa... Procure descobrir a mensagem delas para você. 

Há plantas silvestres nascendo nos centros das cidades, em qualquer canto que vibre a força da vida. Um pequeno resumo da sabedoria que envolve o lugar onde você mora!

Quando você acessa esta informação viva, fica mais sábio para lidar com as intempéries, movimentos e processos de mudanças.

Plantas selvagens


As plantas selvagens contém todo o mistério da vida! São as relvas humildes dos essênios. Estes seres do chão constantemente pisados, arrancados e ignorados... são, na verdade, intermediários de forças incríveis.

Quando as trazemos para perto, sintetizamos:
  •  a força do Céu (folhas apontadas para o alto); e
  •  a firmeza constante da Terra (raízes conhecedoras das profundezas).

Ao nos relacionar com uma planta espontânea, somos capazes de acessar toda a função complexificadora nela contida. Elas são criativas porque desejam complexificar a vida, trazendo mais diversidade aos ambientes.


Estas plantas nascem sozinhas. São vivas, mágicas e fabulosas!!! Estão reunidas na intenção ecofisiológica de re-generar e organizar o ecossistema do entorno onde nasceram. Agora, lembre-se que você está dentro dele e faz parte de todo esse processo. 

Aqui é a Unidade da vida!

Portanto, quanto mais acinzentado, cimentado e esterilizado que seja o seu quintal, elas surgem! Acredite!!!

O Reino Vegetal vem, portanto, auxiliar-nos nesta retomada de equilíbrio e discernimento. Ele é a expressão da terra criativa, a vestimenta que desce à pele da Mãe Terrena, envolvendo todo o corpo eterno da natureza.


ATENÇÃO: só tenha o cuidado de identificá-las. No suco de clorofila, é importante utilizar somente as folhas que listamos no link acima. Um corpo saudável não necessita acessar princípios medicinais muito ativos, senão corre o risco de desogarnizar-se internamente.

Quando mais você se relaciona com este tipo de informação, mais conectado você fica! Isso significa que, muito maior que a cura física, é a função de despertar consciências e expandir campos energéticos bloqueados.

 

 O poder de despertar consciências

A questão está na capacidade de perceber as plantas espontâneas como nossas companheiras, protagonistas da mesma história que nós estamos vivendo... Nunca como simples objetos a servir nossas necessidades.

Precisamos nos despir da categoria de “seres de necessidades” para nos tornar "seres de relações". Só assim passaremos a compreender que a vida é uma força dinâmica que nos alimenta de energia!

Você é um Ser vivo, integral, com autonomia e liberdade para se relacionar com outros seres vivos. Este relacionamento transcende TUDO o que somos capazes de diagnosticar e compreender racionalmente.

Nesse momento, acabam as perguntas originadas pela visão utilitarista da natureza:

Para quê servem estas plantas espontâneas?

O corpo vivo é capaz de estabelecer trocas de energia e informação. Portanto, basta um olhar, um toque, uma conexão. Enquanto interagimos, sentimos, falamos... estamos nos relacionando com outros seres vivos e com o ambiente onde inseridos.

Através da troca de energia e informação, esses vegetais vivos são capazes de resgatar nossa consciência de conexão com os registros descritos na grande Teia da Vida. Registros estes, impressos nas nossas células, sensações e intuições...

Portanto, cada planta tem seu saber e sua medicina... Todas promovem algum tipo de cura, a qual na maioria das vezes transcende o nível físico. Elas querem acordar seu íntimo, a sabedoria que mora no seu coração.

Você só precisa descobrir o que elas tem a dizer! Relacionando-se com elas...


Na forma de paisagens, alimentos ou princípios ativos medicinais (banhos, escalda pés, chás, cataplasmas, homeopatia, óleos essenciais, florais)... Os vegetais nos acolhem e nos reintegram às forças da natureza.

Devolvem-nos, pouco a pouco, a sabedoria nativa e a liberdade criativa, próprias da nossa própria espécie, com a qual eles convivem há milhares de anos.

O nome disso é generosidade! Sinta-a no coração da próxima vez que um vegetal lhe chamar atenção no caminho por onde você passa todos os dias...

Com carinho,

Aline Chaves
Educadora para a Sustentabilidade

Uma outra forma de conectar com os matos do quintal? 
Veja também o nosso post: Outono, a floração da relva humilde!

17 de abr de 2015

Brotando no Jardim do Mundo!!!

A novidade da semana é a nossa entrevista no Blog JARDIM do MUNDO...

http://www.jardimdomundo.com/de-uma-carreira-promissora-para-uma-vida-simples-em-meio-a-natureza/
O 'Jardim' adora histórias de pessoas inspiradoras como a da Aline...

que enquanto estudava para um concurso público despertou para cozinha alternativa e pela alimentação saudável e assim decidiu mudar de vida para criar o projeto Panelas de Capim em um despertar para a culinária responsável...

Para dar uma olhada na matéria, clique no link:

http://www.jardimdomundo.com/de-uma-carreira-promissora-para-uma-vida-simples-em-meio-a-natureza/
"Sempre fui considerada diferente. Nunca me incomodei com isso. Considero a escolha de hábitos (alimentares, sociais, laborais) como a capacidade oportuna que cada um possui para cuidar de si mesmo, de assumir responsabilidade pela própria história e o principal...

Ser feliz ao seu modo, inspirando mini-revoluções na vida de quem passa por perto."

Com carinho,

Aline Chaves
Educadora para Sustentabilidade

10 de abr de 2015

Escondidinho de Repolho



Marinar repolho é tudo de bom!

Você aperta o danadinho bem ralado no azeite com as duas mãos... 

Incrivelmente, ele muda o sabor e fica mais macio!

E se misturar algas marinhas e limão? 
Fica melhor ainda! rsrs

Vem "cruzinhar" com o calor das mãos, minha gente!!!!
Este escondidinho não pode esconder-se de mais ninguém neste mundo.

Ingredientes:


2 algas desidratadas (aquelas folhas de algas usadas para fazer sushi)
1/2 cebola
1/2 repolho médio fatiado bem fino
1/2 pimentão vermelho em tiras (para de-coração)
cebolinha picada (do seu jeito)
sal
limão
azeite

Modo de Fazer:


Descasque o amendoim germinado (aprenda a descascar de um jeito mais rápido, ao final desta postagem). Faça um creme no liquidificador com gotas de meio limão e apenas uma das folhas de algas marinhas cortada em fios com uma tesoura. Pode usar um pouco de água para ajudar a bater. É pouco, senão alaga todo o nosso escondidinho! 

Passe o repolho no fatiador de legumes para conseguir lâminas finas. Pode cortar com uma faca bem cuidadosa que também dá certo. Corte a cebola em arquinhos. Tempere o repolho e a cebola picados com sal, limão, azeite e a outra folha de algas marinhas. Aperte bem com as duas mãos, até que mude a aparência e textura.

Escolha um prato bonito e intercale camadas: repolho com cebola, creme de amendoim, repolho com cebola e creme de amendoim.



Agora faça o creme de amendoim descascado no liquidificador.


AMORnado em banho maria (mais AMOR do que calor).

Aqueça água em uma panela. Deixe ferver a água e abaixe o fogo. Coloque por cima sua travessa com repolho e tampe por alguns minutos. Fica morninho! Bem delícia para comer num dia de chuva!

Opcional 1:  
massa puba temperada com sal e azeite jogada por cima, no final... Dá o efeito de gratinado!


Opcional 2:  
Para  retirar a palidez, coloque um fios de pimentão vermelho por cima com uma cebolinha picada...
Viva tudo o que é colorido!




Coma de olhos fechados...

Aline Chaves
Pesquisadora dos Ciclos Alimentares e Alquimista de Vegetais Vivos

Perguntas freqüentes:

1. Por que descascamos algumas sementes germinadas antes de comer?

A casca possui a função de proteger as sementes até que elas germinem.

Após a germinação das sementes, as cascas perdem a função protetiva e tornam-se um acúmulo de celulose desnecessário ao nosso organismo, que poderá muito bem gastar energia fazendo outras coisas ao invés de digerir esse monte de entulho, não é mesmo?

Joga na compostagem para auxiliar as plantas a crescer!

2. Como descascar de um jeito mais rápido?


Amendoim

Coloque as sementes em um coador de voal. Estique o coador com as sementes sobre a bancada da pia. Esfregue com um vidro sobre as sementes que estão dentro do coador. O objetivo é quebrar as sementes, não o vidro.

Encha uma bacia com água. Esfregue bem com as suas duas mãos. Até as cascas começarem a soltar, pouco a pouco. Observe que as cascas soltam com facilidade.

Para separar as cascas e as sementes, a bacia deve estar cheia de água. Coloque uma peneira em cima de outra bacia para evitar desperdício de água. Agora, aos poucos vá despejando água da bacia com sementes na peneira da bacia vazia. As cascas vão e as sementes ficam. Jogue a água de volta na bacia com sementes e repita o processo até as sementes ficarem limpas.

5 de abr de 2015

A Páscoa do Renascimento




 A Páscoa é uma data que concentra para transformação e mudança.

É tempo de renovação, ressurreição, vida nova, 
recomeço, reflexão e planejamento.

Lembre-se que para transformar o mundo em que vivemos, é necessário antes mudar a nós mesmos. Com certeza, essa é a tarefa mais nobre!

Acredito na simplicidade como maior fonte de expansão para mudanças. Através dela, deixamos o desnecessário de lado e nos concentramos somente na verdade do nosso Ser.

Aproveitar o momento da Páscoa para sentar com ente-queridos à mesa da Mãe Terrena, sob o ar fresco da tardinha...

Uma bela toalha estentida
para trocar frutos da estação
silenciar ao vazio da comunhão
e saborear o corpo sagrado
da natureza viva.

Dentro destes frutos existem os melhores presentes que o mundo já viu: sementes! A promessa de uma nova vida!!!

Que o melhor dom seja aprender a seguir novos fluxos...

Viva o seu presente com reverência e agradecimento. Lembre-se que nós estamos aqui unidos em laços de amor e fraternidade.

 Abrace os fluxos de mudança e entregue-se, 
sem medo de ser feliz!

A Páscoa existe para lembrar que somos Amor!

Com alegria e contentamento,
Aline Chaves

Mensagem essênia de comunhão com a Mãe Terrena:

A Mãe Terrena e eu somos um só

"A sétima comunhão é com a nossa Mãe Terrena, que manda seus anjos guiar as raízes do homem e enterrá-las profundamente no solo abençoado.

Invocamos a Mãe Terrena! A Mantenedora! A que renovará o mundo! A terra é dela, E sua plenitude o mundo, E os que habitam nele.

Nós adoramos a boa, a forte, a benéfica Mãe Terrena e todos os seus Anjos, generosos, valentes e cheios de força; Conferidores de bem-estar, bondosos e doadores de saúde.

Por meio da sua alegria e da sua glória crescem as plantas da terra, 
Ao pé das fontes inexauríveis.
Por meio da sua alegria e da sua glória sopram os ventos.
Empurrando as nuvens para baixo, na direção das fontes inacabáveis.

A Mãe Terrena e eu somos Um. Nela tenho minhas raízes e ela em mim se compraz segundo a Lei Sagrada."(Texto extraído do livro: O Evangelho essênio da Paz. Edmond Székelly)

Alimentação Viva: um outro estilo de viver

Afinal, o que é Alimentação Viva para você?  Para nós, não se trata de um hábito alimentar, muito menos de uma dieta. A Alimentação...

Jovens postagens

.

O conteúdo deste blog é ofertado aos leitores que desejam aprimorar-se nas práticas da Alimentação Viva e inspirar-se no estilo de vida ecológico.

Agradeço de profundo coração os compartilhamentos que CO-LABORAM para divulgar este trabalho, citando as respectivas fontes e autoria!

Aqui mora um pequeno resumo dos muitos anos dedicados à pesquisa, onde uso o meu próprio corpo como experimento.

Peço gentilmente que não utilizem as nossas publicações para fins comerciais. Só porque não vale à pena promover-se financeiramente às custas do esforço e criatividade alheios.

A Vida vem da Vida!

Com carinho,

Aline Chaves
A moça que planta nas panelas

Licença Creative Commons
Panelas de Capim de Aline Almeida Chaves está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://panelasdecapim.blogspot.com.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O que tem dentro das Panelas de Capim?